O que são PCNs? Parâmetros Curriculares Nacionais para baixar na íntegra e comentados.


O que são os Parâmetros Curriculares Nacionais, os PCNs?


Os Parâmetros Curriculares Nacionais — PCN — são referências para os Ensinos Fundamental e Médio de todo o país. O objetivo dos PCN é garantir a todas as crianças e jovens brasileiros, mesmo em locais com condições socioeconômicas desfavoráveis, o direito de usufruir do conjunto de conhecimentos reconhecidos como necessários para o exercício da cidadania. Não possuem caráter de obrigatoriedade e, portanto, pressupõe-se que serão adaptados às peculiaridades locais.
A própria comunidade escolar de todo o país já está ciente de que os PCN não são uma coleção de regras que pretendem ditar o que os professores devem ou não fazer. São, isso sim, uma referência para a transformação de objetivos, conteúdos e didática do ensino.
Ensino Fundamental – 1.ª a 4.ª série
Têm como objetivo estabelecer uma referência curricular e apoiar a revisão e/ou elaboração da proposta curricular dos estados ou das escolas integrantes dos sistemas de ensino.
Os PCN de 1.ª a 4.ª série estão divididos em 10 volumes:

Volume 1 — Introdução aos PCN
Volume 2 — Língua Portuguesa
Volume 3 — Matemática
Volume 4 — Ciências Naturais
Volume 5.1 — História e Geografia
Volume 5.2 — História e Geografia
Volume 6 — Arte
Volume 7 — Educação Física
Volume 8.1 — Temas Transversais — Apresentação
Volume 8.2 — Temas Transversais — Ética
Volume 9.1 — Meio Ambiente
Volume 9.2 — Saúde
Volume 10.1 — Pluralidade Cultural
Volume 10.2 — Orientação Sexual

Ensino Fundamental — 5.ª a 8.ª série
Estabelecem, para os sistemas de ensino, uma base nacional comum nos currículos e servem de eixo norteador na revisão ou elaboração da proposta curricular das escolas.
Volume 1 — Introdução aos PCN
Volume 2 — Língua Portuguesa
Volume 3 — Matemática
Volume 4 — Ciências Naturais
Volume 5 — Geografia
Volume 6 — História
Volume 7 — Arte
Volume 8 — Educação Física
Volume 9 — Língua Estrangeira
Volume 10.1 — Temas Transversais — Apresentação
Volume 10.2 — Temas Transversais — Ética
Volume 10.3 — Temas Transversais — Pluralidade Cultural
Volume 10.4 — Temas Transversais — Meio Ambiente
Volume 10.5 — Temas Transversais — Saúde
Volume 10.6 — Temas Transversais — Orientação Sexual
Volume 10.7 — Temas Transversais — Trabalho e Consumo
Volume 10.8 — Temas Transversais — Bibliografia

Ensino Médio
Os PCN para o Ensino Médio têm por objetivo auxiliar os educadores na reflexão sobre a prática diária em sala de aula e servir de apoio ao planejamento de aulas e ao desenvolvimento do currículo da escola. Os documentos estão assim apresentados:
Bases Legais;
Linguagens, Códigos e suas Tecnologias (Língua Portuguesa, Língua Estrangeira Moderna, Educação Física, Arte e Informática);
Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias (Biologia, Física, Química, Matemática);
Ciências Humanas e suas Tecnologias (História, Geografia, Sociologia, Antropologia, Filosofia e Política).
Fonte: Educacional.com







Para baixar os PCNs - Parâmetros Curriculares Nacionais em formato PDF, completos, clique nos links
abaixo: Os arquivos são do Portal do MEC. Após aberto, se quiser salvar offline, clique na página  e depois em salvar como... pdf. Nomeie o arquivo e escolha o local de salvamento.



  • Volume 01 - Introdução aos PCNs 





  • Volume 02 - Língua Portuguesa 





  • Volume 03 - Matemática 





  • Volume 04 - Ciências Naturais 





  • Volume 05.1 - História e Geografia 





  • Volume 05.2 - História e Geografia 





  • Volume 06 - Arte 





  • Volume 07 - Educação Física 





  • Volume 08.1 - Temas Transversais - Apresentação 





  • Volume 08.2 - Temas Transversais - Ética 





  • Volume 09.1 - Meio Ambiente 





  • Volume 09.2 - Saúde 





  • Volume 10.1 - Pluralidade Cultural 





  • Volume 10.2 - Orientação Sexual








  • Logo abaixo, estão sugestões, idéias e comentários sobre os PCNs:
    Você pode baixar cada PCN comentado clicando nos links diretos:




    O que são Temas transversais? 

    • Prática voltada para a compreensão da realidade social e dos direitos e responsabilidades em relação à vida pessoal e coletiva e a afirmação do princípio da participação. Por isso foram incorporados como temas Transversais as questões referentes à Ética, Pluralidade Cultural, Meio Ambiente, Saúde, Orientação Sexual e Trabalho e Consumo.
    • Correspondem a questões importantes, urgentes e presentes sob varias formas na vida cotidiana.
    • Devem ser incorporados nas áreas já existentes e no trabalho educativo da escola.
    • Estão nas diversas áreas pq são questões sociais. Tratam de processos intensamente vividos pela sociedade, pelas comunidades, pelas famílias, alunos e educadores.
    • Já estão, implícita ou explicitamente, no currículo escolar.
    • A complexidade exige sejam explicados nos diferentes campos do conhecimento.
    • Necessidade desses Temas serem trabalhadas de forma contínua, sistemática, abrangente e integradas não áreas ou disciplinas.
    • Transversalidade: pretende integrar as áreas convencionais de forma a estarem presentes em todas elas, relacionadas as questões da atualidade e que sejam orientadores também do convívio escolar.
    • Os Temas formam um conjunto articulado.
    TRANSVERSALIDADE: diz respeito, principalmente, a dimensão didática. À possibilidade de se estabelecer uma relação entre aprender conhecimentos teoricamente sistematizados e as questões da vida real e de sua transformação.
    - promove uma concepção abrangente dos diferentes objetos de conhecimento, bem como a percepção da implicação do sujeito de conhecimento;
    - Abre espaço para a inclusão de saberes extra-escolares.
    • INTERDISCIPLINALIDADE: refere-se a uma abordagem epistemológica dos objetos de conhecimento. Questiona a segmentação dos diferentes campos de conhecimento produzida por uma abordagem que não leva em conta a inter-relação e influencia entre eles – questiona a visão compartimentada (disciplinar).

    FONTE: PCN – Temas transversais.

    Eixos Metodológicos: forma. Função, estrutura e processo.

    FORMA –De acordo com Santos, Forma é o aspecto visível, exterior, de um objeto, seja visto isoladamente, seja considerando-se o arranjo de um conjunto de objetos, formando um padrão espacial. Uma ca¬sa, um bairro, uma cidade e uma rede urbana são formas espaciais em diferentes escalas. Ressalte-se que a forma não pode ser consi¬derada em si mesma, sob o risco de atribuir a ela uma autonomia de que não é possuidora. Se assim fizermos estaremos deslocando a forma para a esfera da geometria, a linguagem da forma, caindo em um espacialismo estéril. Por outro lado, ao considerarmos isolada¬mente a forma espacial apreenderíamos apenas a aparência, aban¬donando a essência e as relações entre esta e a aparência.

    FUNÇÃO:A noção de função implica uma tarefa, atividade ou papel a ser desempenhado pelo objeto criado,a forma. Habitar, vivenciar o cotidiano em suas múltiplas dimensões - trabalho, compras, lazer, etc. - são algumas das funções associadas à casa, ao bairro, à cidade e à rede urbana.

    Não é possível dissociar forma e função da análise do espaço.

    ESTRUTURA: inserindo a forma e função na estrutura social, sem o que não captaremos a natureza histórica do espaço. A estrutura diz respeito à natureza social e econômica de uma sociedade em um dado momento do tempo: é a matriz social onde as formas e funções são criadas e justificadas.

    PROCESSO: é definido como uma ação que se realiza, via de regra, de modo contínuo, visando um resultado qualquer, implicando tempo e mudança. Os processos ocorrem no âmbito de uma estrutura social e econômica e resultam das contradições internas das mesmas. Em outras palavras, processo é uma estrutura em seu movimento de transformação. Ressalte-se que se considerarmos apenas a estrutura e o processo estaremos realizando uma análise a-espacial, não-geográfica, incapaz de captar a organização espacial de uma dada sociedade em um determinado momento, nem a sua dinâmica espacial.
    Por outro lado, ao considerarmos apenas a estrutura e a forma estaremos eliminando as mediações (processo e função) entre o que é subjacente (a estrutura) e o exteriorizado (a forma). Como afirma Santos:

    FONTE:
    CORREA, Roberto Lobato. Espaço, um conceito-chave da geografia. In: Gegrafia: conceitos e temas..

    Conceitos básicos - Fonte: PCN – Ensino Médio
    Conceito Concepção norteadora Elementos de aprofundamentos

    Espaço geográfico


    Conjunto indissociável de sistemas de objetos (redes técnicas, prédios, ruas) e de sistemas de ações (organização do trabalho, produção, circulação. consumo de mercadorias. relações familiares e cotidianas) que procura revelar as práticas sociais dos diferentes grupos que nele produzem, lutam, sonham. vivem e fazem a vida caminhar. (Milton Santos)



    O espaço é perceptível, sensível, porém extremamente difícil de ser limitado, quer por dinâmica. q pela vivência de elementos novos e elementos permanência. Apesar de sua complexidade,ele apresenta elementos de unicidade. Interferem mesmos valores, que são atribuídos pelo próprio humano e que resultam numa distinção entre espaço absoluto - cartesiano - uma coisa em si mesmo, independente; e um espaço relacional que apresenta sentido (e valor) quando confrontado outros espaços e outros objetos.
    Paisagem
    Unidade visível do arranjo espacial, alcançado por nossa visão.
    Contém elementos impostos pelo homem por me de seu trabalho, de sua cultura e de sua emoção. Nela se desenvolve a vida social e, dessa forma, ela pode ser identificada informalmente apenas mediante a percepção, mas também pode ser identificada e analisada de maneira formal, de mo seletivo e organizado; e é neste último sentido que a paisagem se compõe como um elemento conceitual de interesse da Geografia.

    Lugar Porção do espaço apropriável para a vida, que é vivido, reconhecido e cria identidade.
    Guarda em si mesmo as noções de densidade técnica, comunicacional, informacional e normativa. Guarda em si a dimensão da vida, como tempo passado e presente. É nele que ocorrem as relações de consenso. Conflito, dominação e resistência. É nele que se dá a recuperação da vida. E o espaço com o qual o indivíduo se identifica mais diretamente.
    Território
    Porção do espaço definida pelas relações de poder, passando assim da delimitação natural e econômica para a de divisa social.

    O grupo que se apropria de um território ou se organiza sobre ele cria relação de territorialidade. que se constitui em outro importante conceito da Geografia. Ela se define como a relação entre os agentes sociais políticos e econômicos, interferindo na gestão do espaço. A delimitação do território é a delimitação das relações de poder, domínio e apropriação nele instaladas. É, portanto uma porção concreta. O território pode, assim, transcender uma unidade política, e o mesmo acontecendo com o processo de territorialidade, sendo que este não se traduz por uma simples expressão cartográfica, mas se manifesta sob as relações variadas, desde as mais simples até as mais complexas.


    Escala

    Distinguem-se dois tipos ou duas visões básicas: a escala cartográfica e a escala geográfica. A primeira delas é, a priori. uma relação matemática que implica uma relação numérica entre a realidade concreta e a realidade representada cartograficamente.
    No caso da escala geográfica, trata-se de uma visão relativa a elementos componentes do espaço geográfico, tomada a partir de um direcionamento do olhar científico: uma escala de análise que procura responder os problemas referentes à distribuição dos fenômenos.
    Para a escala cartográfica, é essencial estabelecer ¬os valores numéricos entre o fato representado e a dimensão real do fato ocorrente. No entanto, essa relação pode pressupor a escolha de um grau de detalhamento que implique a inclusão de fatos mais ou menos visíveis, dentro de um processo seletivo que considere graus de importância para o processo de representação.
    No caso da escala geográfica, o que comanda a seleção dos fatos é a ordem de importância dos mesmos no contexto do tema que está sendo trabalhado. Há, nesse caso, uma seleção efetiva dos fatos a partir dos diversos níveis de análise, que já se tentou agrupar em unidades de grandeza, o que pode ser discutível.

    Globalização, técnicas
    e redes
    O fato gerador é o processo de globalização, que corresponde a uma etapa do processo de implementação de novas tecnologias, que acabaram por criar a intercomunicação entre os lugares em tempo simultâneo. Para sua ocorrência, torna-se fundamental a apreensão das técnicas pelo ser humano e a expressão das redes. que não se restringem à comunicação, mas englobem todos os sistemas de conexão entre os lugares. A globalização é basicamente assegurada pela implementação de novas tecnologias de comunicação e informação, isto é, de novas redes técnicas que permitem a circulação de idéias, mensagens, pessoas e mercadorias, num ritmo acelerado, criando a interconexão dos lugares em tempo simultâneo.


    Esta postagem pertence ao Espaço Educar.
    Se você copiar, dê os créditos.
      E-mail para colaboração: espacoeducarliza@yahoo.com.br
     Inscreva seu e-mail e receba todas as nossas novidades! 
      By FeedBurner
    Você receberá um e-mail de confirmação. É preciso seguir o link para confirmar.

    2 comentários :

    1. OLA! boa noite! Eu jussara sou apaixonada por esses saite, ele é simplesmente maravilhoso, completo e abençoado.Obridaga por gente como você existe e contribuir para a nossa educaçâo.

      ResponderExcluir
    2. Boa Noite! Gostaria de deixar o meu muito obrigada pelo material disponibilizado pelo site.

      ResponderExcluir

    É muito bom quando você comenta. Assim, posso saber do que você precisa e conhecer a sua opinião sobre o nosso trabalho. Obrigada!

    Quer receber novidades? CADASTRE O SEU EMAIL AQUI!

    Faça um curso pedagógico online!

    Mais vistos do mês